sábado, 30 de março de 2013

Reponho uma poesia do poemário Que de dentro não se vê:


La guitarra

La guitarra se consome gimiendo,
arde en la oscuridad.
La luna suave en las manos del tocaor
ilumina el toque.
Y toda la Andalucia
cabe en tu sonido

António Eduardo Lico

12 comentários:

  1. António:
    Un placer leer tu creación poética,con contenido conceptual y síntesis.
    En mi caso, me fascina el estilo.
    Quiero agradecerte tus visitas al blog.
    Estaba en deuda con los comentarios,no existe nada al azar.
    Felicitaciones desde Buenos Aires.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gracias Elsa. También me gustan tus letras-
      Buen Sábado.
      Abrazo portugues desde Inglaterra.

      Eliminar
  2. Pintaste la imagen poética,Antonio, y hasta sonido tiene...

    Abrazos y felicidades.

    ResponderEliminar
  3. Olá Antonio, linda é tua poesia!!Sublime!
    Desejo-lhe Feliz Domingo de Páscoa!
    Que possamos renascer na esperança
    de um novo dia, de um novo amanhã,
    de uma nova vida!!
    Beijos, Vilma

    ResponderEliminar
  4. Lindo poema!
    Obrigada por compartilhar...

    Estou seguindo para acompanhar mais =)

    Abraços,
    http://livrosebatons.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Francelly pela visita e comentário.
      Abraço.

      Eliminar
  5. E toda a emoção cabe nas suas cordas...
    Bjnhs

    ResponderEliminar
  6. Bom dia aee!
    Ja seguindo venho ler e me legrar
    com tão bela poesia.
    Bjkas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, pela visita e comentário.
      Boa semana.
      Beijos.

      Eliminar