quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Reponho uma poesia do poemário Sombras luminosas:


Diana, ou a lua como reflexo...

Tenso o arco, Diana e a absurda flecha
que fere o silêncio e a luz
De tudo o que és
apenas fica a lua negra
e essa poesia que te enfeita os cabelos.

António Eduardo Lico

3 comentários:

  1. Tudo isso acontessendo e eu aqui na praça dando milho aos pombos

    ResponderEliminar
  2. Obrigado D. Everson e Regina Ragazzi pela visita e comentários.

    ResponderEliminar