terça-feira, 4 de março de 2014

Reponho uma poesia do poemário O canto em mim:

Esta abrupta sede

Brusca e abrupta sede
me prende em atmosferas
de húmidas paisagens
que desenho e canto
no vértice da tua ausência

Antonio Eduardo Lico

6 comentários:

  1. Siempre delicadas y melódicas tus letras...

    Muy bonita.

    Un beso grande.

    ResponderEliminar
  2. De fato, há uma musicalidade na sede, na ânsia, na confissão da ausência num vértice mais para lírico do que para geométrico.
    Grande abraço,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim caro amigo, aqui o vértice é claramente lírico.
      Abraço.

      Eliminar