domingo, 9 de março de 2014

Reponho uma poesia do poemário O canto em mim:

Que este olhar não me vê

Oculto-me na multidão
e vejo-me passar ao longe.
Fito-me como se fosse estranho.

António Eduardo Lico

10 comentários:

  1. Uno se puede perder entre la multitud, y estar sumergido en su propio mundo...

    Muchos besos.

    ResponderEliminar
  2. Há sempre alguém na multidão. O enigma é saber se é o Eu ou o Outro.
    Abraços,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi precisamente a dúvida que me assaltou quando estava a escrever este pequeno poema.
      Abraços.

      Eliminar
  3. E quantas vezes tentamos nos esconder de nós mesmos, no entanto...Abraços poeta!!!

    ResponderEliminar