terça-feira, 2 de julho de 2013

Amanhecer obscuro

Reponho uma poesia do poemário Amanhecer obscuro:

Reflexão útil num dia de chuva

Eu gosto de tudo o que faço.
O que não faço, não
é aquilo que faço.
Pura Tautolgia! Dir-me-ão:
antes tautólogo
que tarólogo.
Podia ter dito tautologista;
podia ter dito tarologista.
Apenas não quis ficar sem o logos.
Não sou esteta, nem mesmo
obstetra.Poderá haver quem me pense um tetraedo:
não sou e da Geometria
apenas me interessa
a primeira letra.
A chuva cai, líquida
como convém a toda a chuva

e depois pára, sem reflectir.

António Eduardo Lico

10 comentários:

  1. Abrazos,querido amigo.
    (Ya sabes que las traducciones poco aportan al momento de sentir tu poesía...Lo siento mucho).
    Gracias por tus constantes visitas a mi blog.
    Un beso desde Chile.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gracias Maritza. Si es verdad las traductiones de google poco hacen por la poesia, mas es asi mismo.
      Es mio placer visitar tu blog.
      Besos.

      Eliminar
  2. Tiene razón Maritza
    en cuanto a las traducciones:(

    Abrazos

    ResponderEliminar
  3. Nossa adorei! Amo dias de chuva, quando não preciso sair (rsrsrsr0 Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Nádia. Também eu adoro chuva quando estou em casa.
      Abraço.

      Eliminar
  4. Belo jogo com as palavras, fazendo despertar para um logos implícito que exige atenção, discernimento.
    Abraços, amigo,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro José Carlos, o Logos está em tudo.
      Abraço.

      Eliminar
  5. Linda poesia,eu gosto muito de dias fresquinhos mas que esses dias sejam sem chuva porque com chuva não se pode andar na rua. Tudo de bom para ti,fica bem. http://mafaldinhaarte.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é ninguém gosta de andar à chuva.
      Obrigado Mafalda pela visita e comentário.

      Eliminar