quinta-feira, 15 de maio de 2014

Reponho uma poesia do poemário Sombras luminosas:

Observando as Plêiades... e meditando vagamente numa antiga donzela que por amor a um marinheiro foi transformada em ave aquática...

Fulgente no Sete Estrelo
Alcion, líquida estrela
ou imperfeito pássaro luminoso
feito luz pura na água
como um risco sideral
que te fez luz eterna.

António Eduardo Lico

4 comentários:

  1. A maravilhosa explicação dos homens diante da beleza do Universo! Poesia em prosa e verso.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Hay muchas belleza en estas letras...

    Beso.

    ResponderEliminar