terça-feira, 2 de abril de 2013

Uma poesia de Domingos Monteiro:

No jardim a tarde esquece
Os longos dedos de infanta
Enquanto o repuxo canta
Há uma rosa que adormece

A esta hora tudo me espanta
Tudo, tudo me enternece
Enquanto o repuxo canta
E aquela rosa adormece.

Há feitios de sandálias
Na areia fina moldados
E eu curvo-me sobre as áleas
A beijar essas pisadas

E o repuxo canta, canta
Talvez tenha enlouquecido
A alma da água o levanta
Vai toda feita em ruído.

No jardim a tarde esquece
Seus dedos longos de infanta
Enquanto o repuxo canta
E aquela rosa adormece.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Um poeta que pouco publicou, Domingos Monteiro, mas muito saudado por Fernando Pessoa e Teixeira de Pascoaes.

      Eliminar